fbpx

aprendizagem autodirigida

Use a avaliação dos alunos para aprimorar sua escola

Qual o objetivo da avalia√ß√£o das crian√ßas e adolescentes na escola? Verificar se o aprendizado aconteceu? Se as informa√ß√Ķes foram absorvidas? Se o aprendiz tem a capacidade de mobilizar os conhecimentos adquiridos para resolver problemas? E quando, independente do formato da avalia√ß√£o, o resultado da avalia√ß√£o n√£o √© promissor? Quando um aluno, alguns alunos ou …

Use a avalia√ß√£o dos alunos para aprimorar sua escola Leia mais »

Seus alunos só estudam para a prova?

woman studying inside the classroom

Tenho recebido muitas not√≠cias, estudos e comunicados com a tem√°tica do engajamento dos alunos em sala de aula, esse sempre foi um assunto recorrente, mas aparentemente nesse momento p√≥s pandemia, fechamento e reabertura das atividades presenciais da escola, essa preocupa√ß√£o se intensificou. Como engajar os alunos? Como criar aulas mais interessantes? Como tornar seu ensino …

Seus alunos s√≥ estudam para a prova? Leia mais »

Educador, navegador e intitulador

Ontem, em uma roda de conversa sobre educa√ß√£o, uma das participantes questionou como se d√° o processo de apoiar as crian√ßas no acesso aos conhecimentos j√° estruturados, por√©m sem apresentar uma aula expositiva ou direcionar uma atividade com esse prop√≥sito. Por exemplo, como apresentar que a biologia √© a ci√™ncia que estuda os seres vivos …

Educador, navegador e intitulador Leia mais »

Ensinar pelo exemplo de ser aprendiz

educador com crianças lhe mostrando o sabem

√Č consenso afirmar que uma crian√ßa aprende a partir do que “voc√™ √©” mais do que por aquilo que “voc√™ fala”, sendo assim, n√≥s educadores nos colocamos a refletir sobre nossas posturas diante dos aprendizes. Devemos ser a imagem daquilo que gostar√≠amos que as crian√ßas e adolescentes que acompanhamos se tornassem? A resposta √©: N√£o! …

Ensinar pelo exemplo de ser aprendiz Leia mais »

Aprendizados seguem o ritmo da curiosidade

‚Äď Tem como consertar esse celular?Essa foi a pergunta motriz que originou diversas experi√™ncias e aprendizados. Me mostrou o celular com a tela rachada e aproveitou para perguntar o que era aquela pe√ßa redondinha que ficava em cima da tela, do lado da c√Ęmera frontal, que ficou exposta porqu√™ a tela estava rachada. Falei que …

Aprendizados seguem o ritmo da curiosidade Leia mais »

A caminhada do aprender não é linear

Uma das coisas que eu mais amo em trabalhar com educa√ß√£o em ambientes de liberdade √© observar os caminhos sinuosos que as crian√ßas percorrem na constru√ß√£o do seu aprendizado. Situa√ß√Ķes que a primeira vista parecem il√≥gicas, desorganizadas e multifocais (adjetivos bem pr√≥prios para o c√©rebro em desenvolvimento da crian√ßa), resultam em experi√™ncias de aprendizagem muito …

A caminhada do aprender n√£o √© linear Leia mais »

A organização de uma escola sem grades

women s red and black sari dress

Como se organiza uma escola sem grades curriculares? Sem planos de aula? Sem metas de conte√ļdo apresentado? Sem avalia√ß√Ķes programadas? E mais, √© poss√≠vel organizar uma escola assim? Essa √© uma grande d√ļvida que recebo de educadores e gestores escolares, de um lado est√£o os que reconhecem que a sobrecarga de controle n√£o favorece o …

A organiza√ß√£o de uma escola sem grades Leia mais »

A organiza√ß√£o criativa da inf√Ęncia √© brilhante

cheerful group of teenagers using laptop

Ao pensarmos em metodologia de projetos, como o design thinking, recorremos ao estudo dos grandes inventores e criativos da humanidade, desde a antiguidade at√© as modernas startups do Vale do Sil√≠cio. Eu acredito que tamb√©m seja muito produtivo observar os grandes inventores dos jardins de inf√Ęncia. H√° 10 anos quando conheci essas metodologias fiquei fascinado …

A organiza√ß√£o criativa da inf√Ęncia √© brilhante Leia mais »

Brincar é um ato científico

photo of child s hand playing clay

A brincadeira √© a express√£o natural da crian√ßa no mundo, ao chegar em um novo ambiente, ao conhecer novas pessoas, ao utilizar novos materiais, ao experimentar novas sensa√ß√Ķes, a crian√ßa aprende sobre o mundo nessas rela√ß√Ķes e naturalmente nessas intera√ß√Ķes ela perpassa pelas etapas da metodologia cient√≠fica. Imagine uma crian√ßa brincando com massinha pela primeira …

Brincar √© um ato cient√≠fico Leia mais »

Para um mundo vol√°til, seres aprendentes

Diversos documentos, estudos, livros e confer√™ncias chegam a mesma conclus√£o nas √ļltimas d√©cadas:– O mundo est√° mudando mais r√°pido que a capacidade do sistema educacional de preparar os estudantes para essas mudan√ßas. Sabendo disso, s√£o muitas s√£o as diretrizes e metas estipuladas para corrigir essa defasagem. V√°rias delas focam em quais habilidades e compet√™ncias devem …

Para um mundo vol√°til, seres aprendentes Leia mais »